O vice-candidato do Corinthians apoiou financeiramente a campanha a favor da ditadura.

0

São Paulo – Cerca de um mês após o Corinthians lançar uma campanha em home nagem ao movimento Democracia Corinthiana, que lutava pelo fim da ditadura militar no Brasil, o empresário Osmar Stábile, financiador de uma campanha pró-golpe militar, candidatou-se à vice-presidência do clube.

Em 2019, Stábile admitiu ter produzido um vídeo que exaltava o golpe militar de 1964 e que foi publicado pela assessoria do Palácio do Planalto durante o primeiro ano do governo de Jair Bolsonaro (PL).

O vídeo, com aproximadamente dois minutos de duração, foi divulgado no dia 31 de março, data que marca a tomada do poder pelos militares, e argumenta que o Exército “apenas cumpriu o seu papel”.

“O Exército nos salvou. Não há como negar. E tudo isso aconteceu em um dia comum de hoje, um 31 de março. Não é possível mudar a história”, diz o vídeo sobre o período da ditadura no país.

Por meio de uma nota, o empresário, sócio-fundador da Bendsteel, uma empresa de estamparia de metais, afirmou ser eleitor de Bolsonaro e ter produzido o conteúdo por vontade própria e com seus próprios recursos.

“Sou um patriota e entusiasta do contragolpe preventivo (pois é assim que muitos historiadores não-ideológicos enxergam ‘1964’)”, escreveu Stábile.

“Não tenho e não tive a intenção de mexer com os sentimentos daqueles que se dizem perseguidos pelas Forças do Estado naquele importante período da nossa história. Mas acredito plenamente nos esforços de nossas Forças Armadas que evitaram males políticos maiores para a nação”, afirmou o empresário na ocasião.

Na semana passada, Stábile, que é conselheiro vitalício do Corinthians, foi oficialmente registrado como primeiro vice de Augusto Melo. A chapa faz oposição à atual gestão de Duílio Monteiro Alves, que apoia a eleição de André Negão como seu sucessor na presidência do clube.

Em uma nota, a chapa que Stábile faz parte afirmou ao Metrópoles que não concorda com o conteúdo do vídeo e que, na ocasião, chamou o conselheiro para uma conversa, na qual ele se “retratou, reconheceu que exagerou e pediu desculpas”. Por isso, o grupo político aceitou sua candidatura.

A eleição será realizada em 25 de novembro no Parque São Jorge e contará com o empréstimo de urnas eletrônicas pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP).

Faça uma denúncia ou sugira uma reportagem sobre São Paulo por meio do WhatsApp do Metrópoles SP: (11) 99467-7776.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *