Garden Lucky GOSSIP O Hamas está segurando 222 pessoas como reféns na Faixa de Gaza, confirma Israel.

O Hamas está segurando 222 pessoas como reféns na Faixa de Gaza, confirma Israel.

As Forças de Defesa de Israel (FDI) informaram que as famílias de 222 reféns foram notificadas de que seus parentes estão sob o contro le do Hamas na Faixa de Gaza. Segundo o contra-almirante Daniel Hagari, porta-voz das FDI, esse número não inclui estrangeiros.
Também não estão contabilizados os nomes de Judith Raanan e sua filha Natalie. Elas foram libertadas pelo Hamas na noite de sexta-feira (20/10).
Jornalistas questionaram Hagari se a operação terrestre israelense de invasão a Gaza estava sendo adiada com o objetivo de negociar a libertação de mais reféns. O militar se limitou a dizer: “Estamos trabalhando de todas as formas para libertar os reféns e trazê-los de volta para casa”.
Este é uma janela modal.
Início da janela de diálogo. Pressione Esc para cancelar e fechar a janela.
Fim da janela de diálogo.
Este é uma janela modal.
Início da janela de diálogo. Pressione Esc para cancelar e fechar a janela.
Fim da janela de diálogo.
Soldados israelenses patrulham perto da fronteira de Gaza enquanto o confronto entre o exército israelense e as facções palestinas continua em Nir Oz, Israel Mostafa Alkharouf/Anadolu via Getty Images
Ataques militares na Cidade de Gaza deixam um rastro de destruição Leon Neal/Getty Images
Destruição após o ataque israelense no campo de Nuseirat, Faixa de Gaza Ashraf Amra/Anadolu via Getty Images
Imagem aérea da destruição após o ataque israelense no campo de Nuseirat, Faixa de Gaza Doaa Albaz/Anadolu via Getty Images
Corpos de palestinos mortos em ataques israelenses estão sendo transportados para sepultamento no necrotério do Hospital Al Aqsa em Deir El Belah, Gaza Ashraf Amra/Anadolu via Getty Images
Print de tela mostra incêndio causado por um ataque aéreo israelense no campo de refugiados de Nuseirat na cidade de Gaza Ramzi Adel/Anadolu via Getty Images
Equipes de busca e resgate estão trabalhando para resgatar civis presos sob os escombros após um ataque aéreo israelense em Khan Yunis, Gaza Mustafa Hassona/Anadolu via Getty Images
Faixa de Gaza Ashraf Amra/Anadolu via Getty Images
Soldados israelenses patrulham perto da fronteira de Gaza enquanto o confronto entre o exército israelense e as facções palestinas continua em Nir Oz, Israel Mostafa Alkharouf/Anadolu via Getty Images
Ataques militares na Cidade de Gaza deixam um rastro de destruição Leon Neal/Getty Images
Por outro lado, os ataques aéreos continuam. Mais de 320 alvos militares dentro da Faixa de Gaza foram atacados. Em uma publicação nas redes sociais, o Exército afirmou que bombardeou túneis, quartéis-generais operacionais e postos de observação de grupos armados.
A publicação acrescenta que foram destruídos locais estratégicos que representavam perigo para as forças militares israelenses. São exatamente essas forças que supostamente estão se preparando para a invasão terrestre na Faixa de Gaza.
Entre os palestinos, o número de mortos se eleva. Autoridades de saúde em Gaza afirmam que aproximadamente 400 pessoas foram mortas em ataques aéreos israelenses em Gaza entre a madrugada de domingo (22/10) e a madrugada de segunda-feira (23/10). Segundo os palestinos, desde o dia 7 de outubro, quando terroristas do Hamas invadiram Israel e mataram centenas de civis, o número de mortos em Gaza ultrapassou os 4.741.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e mantenha-se informado! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

To display the text in HTML format and put it in a div tag, you can use the following code:

“`html

As Forças de Defesa de Israel (FDI) informaram que as famílias de 222 reféns foram notificadas de que seus parentes estão sob o controle do Hamas na Faixa de Gaza. Segundo o contra-almirante Daniel Hagari, porta-voz das FDI, esse número não inclui estrangeiros.

Também não estão contabilizados os nomes de Judith Raanan e sua filha Natalie. Elas foram libertadas pelo Hamas na noite de sexta-feira (20/10).

Jornalistas questionaram Hagari se a operação terrestre israelense de invasão a Gaza estava sendo adiada com o objetivo de negociar a libertação de mais reféns. O militar se limitou a dizer: “Estamos trabalhando de todas as formas para libertar os reféns e trazê-los de volta para casa”.

Este é uma janela modal.

Início da janela de diálogo. Pressione Esc para cancelar e fechar a janela.

Fim da janela de diálogo.

Este é uma janela modal.

Início da janela de diálogo. Pressione Esc para cancelar e fechar a janela.

Fim da janela de diálogo.

Soldados israelenses patrulham perto da fronteira de Gaza enquanto o confronto entre o exército israelense e as facções palestinas continua em Nir Oz, Israel

Ataques militares na Cidade de Gaza deixam um rastro de destruição

Destruição após o ataque israelense no campo de Nuseirat, Faixa de Gaza

Imagem aérea da destruição após o ataque israelense no campo de Nuseirat, Faixa de Gaza

Corpos de palestinos mortos em ataques israelenses estão sendo transportados para sepultamento no necrotério do Hospital Al Aqsa em Deir El Belah, Gaza

Print de tela mostra incêndio causado por um ataque aéreo israelense no campo de refugiados de Nuseirat na cidade de Gaza

Equipes de busca e resgate estão trabalhando para resgatar civis presos sob os escombros após um ataque aéreo israelense em Khan Yunis, Gaza

Faixa de Gaza

Soldados israelenses patrulham perto da fronteira de Gaza enquanto o confronto entre o exército israelense e as facções palestinas continua em Nir Oz, Israel

Ataques militares na Cidade de Gaza deixam um rastro de destruição

Por outro lado, os ataques aéreos continuam. Mais de 320 alvos militares dentro da Faixa de Gaza foram atacados. Em uma publicação nas redes sociais, o Exército afirmou que bombardeou túneis, quartéis-generais operacionais e postos de observação de grupos armados.

A publicação acrescenta que foram destruídos locais estratégicos que representavam perigo para as forças militares israelenses. São exatamente essas forças que supostamente estão se preparando para a invasão terrestre na Faixa de Gaza.

Entre os palestinos, o número de mortos se eleva. Autoridades de saúde em Gaza afirmam que aproximadamente 400 pessoas foram mortas em ataques aéreos israelenses em Gaza entre a madrugada de domingo (22/10) e a madrugada de segunda-feira (23/10). Segundo os palestinos, desde o dia 7 de outubro, quando terroristas do Hamas invadiram Israel e mataram centenas de civis, o número de mortos em Gaza ultrapassou os 4.741.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e mantenha-se informado! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

“`

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Related Posts