O fisiculturista que foi morto em São Paulo estava sendo alvo de ameaças constantes por parte do tráfico.

0
São Paulo — A Polícia Civil de São Paulo suspeita que o fisiculturista Eustácio Batista Dias, de 27 anos, que foi morto a tiros dentro de uma academia, possa ter sido alvo de uma vingança por parte de traficantes de drogas. De acordo com as investigações, Eustácio estava sendo ameaçado de morte na Bahia.
O crime ocorreu em Botucatu, no interior do estado, na tarde de terça-feira (17/10). Pouco antes de ser assassinado, o fisiculturista compartilhou fotos e um vídeo nas redes sociais – para a polícia, isso pode ter ajudado os criminosos a encontrá-lo.

Segundo o delegado Lourenço Talamonte, da Seccional de Botucatu, o fisiculturista “tinha envolvimento com o tráfico de drogas” tanto no interior de São Paulo quanto na Bahia, seu estado de origem. As investigações indicam inclusive que ele estava marcado para morrer na Bahia, motivo pelo qual decidiu se mudar para o estado de São Paulo.

De acordo com a polícia, em junho de 2021 Eustácio foi preso na Bahia por tráfico de drogas. Com ele e seu irmão Ramon Batista Dias, de 26 anos, foram encontradas três porções de maconha, nove pinos de cocaína, quatro smartphones e R$ 2.473 em dinheiro.

Já em São Paulo, ele foi preso na capital com quatro quilos de cocaína. Depois de nove meses de prisão, ele se estabeleceu em Botucatu, onde morava há pouco mais de um ano.

Eustácio era natural de Teixeira de Freitas, no sul da Bahia. O fisiculturista era casado e morava com a esposa em Botucatu. Como atleta, ele foi campeão brasileiro na categoria Men’s Physique em 2018. Ele também venceu o campeonato estadual no Espírito Santo em 2019.

Seu perfil no Instagram tem quase 11 mil seguidores. Em abril deste ano, ele criou um canal no YouTube onde compartilhava vídeos sobre sua rotina como fisiculturista, mudanças em seu corpo e até mesmo a aplicação de anabolizantes.

Há uma semana, Eustácio publicou um vídeo comemorando seu retorno aos treinos depois de quase um mês de pausa. Segundo o atleta, ele “não estava bem psicologicamente” para treinar.

Eustácio foi morto a tiros por dois homens armados que invadiram a academia enquanto ele treinava. As câmeras de segurança registraram o momento em que os criminosos entraram armados e executaram a vítima, que aparece vestindo uma camisa vermelha no vídeo (veja abaixo).

Eustácio caiu no chão e continuou sendo atingido pelos criminosos, que fugiram do local após o assassinato. Outro homem que vestia uma camiseta azul também foi atingido. Ele seria o dono da academia. Não há informações sobre o estado de saúde dele.

Até o momento, nenhum suspeito foi identificado.

Faça uma denúncia ou sugira uma reportagem sobre São Paulo pelo WhatsApp do Metrópoles SP: (11) 99467-7776.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *