O ex-senador Telmário Mota, acusado de cometer homicídio contra seu ex-parceiro, é detido em Goiás.

0

O ex-senador Telmário Mota, suspeito de encomendar o assassinato de sua ex-esposa, Antônia Araújo de Sousa, de 52 anos, foi detido pela Polícia Civil de Goiás na noite de segunda-feira (30/10) em Nerópolis, cidade a 36 km de Goiânia.

Antônia era mãe de uma das filhas do ex-parlamentar e faleceu no final de setembro, vítima de um tiro na cabeça. Uma das filhas de Telmário também o acusa de estupro no Dia dos Pais do ano passado.

A Polícia Civil não forneceu mais detalhes sobre a prisão do ex-senador.

Telmário está sendo investigado pela Polícia Civil de Roraima através da operação chamada Caçada Real, que ocorreu nas cidades de Boa Vista (RR), Caracaraí (RR) e em Brasília (DF).

Ex-filiado ao partido Solidariedade, o contato feito pelo Metrópoles afirma que Telmário se desligou do partido na terça-feira passada (17/10). A razão ainda não foi esclarecida, mas teria partido do próprio ex-parlamentar.

Graduado em economia e contabilidade, Mota iniciou sua carreira política em 2005 como primeiro suplente da Câmara Municipal de Boa Vista. Dois anos depois, em 2007, assumiu o cargo de vereador de Roraima.

Em 2015, foi eleito Senador da República. Nas eleições de 2018, concorreu ao governo de Roraima pelo PTB, mas não foi eleito.

No início da manhã de 29 de setembro, Antônia Araújo, que trabalhava como servidora do Distrito Sanitário Especial Indígena Yanomami e Yek’uana (Dsei-YY) desde 2017, foi baleada e morreu quando estava saindo de casa, no bairro Senador Hélio Campos, zona oeste de Boa Vista.

Antônia estava dentro de um carro com um parente quando dois homens em uma motocicleta se aproximaram e atiraram contra ela. Ela faleceu no local.

Em agosto de 2022, a filha de Telmário Mota e Antônia Araújo, na época com 17 anos, registrou um boletim de ocorrência contra o pai, alegando que ele a assediou, tocou em suas partes íntimas e tentou tirar suas roupas no Dia dos Pais, após forçá-la a entrar em um carro e tomar bebidas alcoólicas.

Naquele momento, Telmário negou as acusações e alegou ser vítima de perseguição política.

Receba notícias do Metrópoles no Telegram e fique por dentro de tudo! Acesse o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *