EducaPais: de que forma a família pode contribuir para o reconhecimento da ansiedade?

0

Como a família pode auxiliar e acolher em situações de ansiedade? É p ossível identificar o sofrimento nos primeiros indícios? E quais são eles?

Essas são questões abordadas no segundo episódio do videocast EducaPais, com a participação do diretor do Colégio Marista de Brasília, Luiz Ricardo O’donnell Timm, e a pedagoga e analista de Educação do Marista Centro-Norte, Andréa Conceição Moura.

“Podemos fazer uma comparação com o conceito de ‘autoestima’. Ter uma autoestima positiva é bom. No entanto, se isso nos leva a adiar nossas ações, é ruim. Porque acreditamos que somos capazes de cuidar de tudo, mas na verdade não somos. Portanto, a ansiedade pode ser tanto algo bom quanto ruim, se não cuidarmos dela”, comenta Timm.

Para a educadora Andréa, os indícios são claros, mas demandam atenção tanto da escola quanto dos pais.

“A observação é essencial e deve começar na família. Jovens com medo exagerado, transpiração excessiva, pensamentos extremos e negativos. E a família precisa compartilhar isso com a escola”, afirma a pedagoga.

Ambos concordam que o olhar amoroso é o mais importante.

Assista ao episódio completo:

O portal Metrópoles e os colégios Maristas se uniram para refletir sobre temas que impactam diretamente a vida de estudantes e educadores dentro da escola, em um videocast com professores e especialistas.

Em 10 episódios semanais, são debatidos temas como ansiedade, depressão, tecnologia, projeto de vida e rede de proteção aos direitos das crianças e dos adolescentes, sob as perspectivas de quem vivencia o cotidiano dentro e fora das escolas.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *