Adorabilidade: bebê resultado de um “milagre” começa a pronunciar as primeiras palavras.

0

O bebê que passou por uma cirurgia inovadora completou 18 meses e já com eça a falar as primeiras palavras. Tendo passado por um procedimento cirúrgico ainda no útero da mãe, o pequeno Ragnar impressiona seus pais ao dizer palavras como “hidratante” pela primeira vez. Não só a palavra com quatro sílabas chama a atenção. Com apenas um ano e meio de vida, ele já pronuncia 130 palavras. Segundo o Instituto NeuroSaber, nessa fase, é comum ter um vocabulário médio de 10 a 50 palavras.

“Sempre vi a comunicação como um recurso valioso em todos os aspectos. Por isso, decidi investir tempo e energia para que ele pudesse desenvolver desde cedo a habilidade de se comunicar bem”, disse a jornalista Polyana Resende Brant. “Segui todas as dicas que li e ouvi aqui e ali: ler muito para ele e com ele; descrever todas as ações e ambientes; ter muitos diálogos, fazendo perguntas e esperando pacientemente pela resposta no tempo dele”.

A mãe anota cada palavra que Ragnar já disse. “Nós descrevemos muito as coisas para ele, então eu dizia ‘mamãe vai passar hidratante’ e ele repetiu”, contou a jornalista Polyana Resende Brant. Ela também acrescentou que lê muito para o filho. “Ele tem um livrinho da fazendinha que sempre pede”. O orgulho no desenvolvimento do pequeno não é mera adoração.

Vídeo do Ragnar

No sexto mês de gravidez, ele foi diagnosticado com um quadro grave de hidropsia – uma condição que causa derrames pleurais, abdominais, subcutâneos, intracranianos e testiculares – e sequestro pulmonar, em que um tumor na caixa torácica era irrigado por uma aorta e pressionava o esôfago. Toda essa situação poderia levar ao óbito fetal se não houvesse uma intervenção cirúrgica de caráter urgente, o que era considerado de alto risco.

Ragnar passou por dois procedimentos cirúrgicos complexos antes mesmo de nascer. Na primeira vez, quando Polyana estava no sétimo mês de gravidez, a cirurgia apenas queimou o vaso que nutria o tumor, resultando em uma leve redução. Após uma semana, no entanto, o tumor voltou a crescer. “Ali, o prognóstico era o óbito fetal”. Foi então que os pais Tiago Resende Brant e Polyana, junto com a equipe médica, decidiram fazer a cirurgia inédita para queimar todo o tumor.

Agora, os pais estão aproveitando seu primeiro filho. “Meu filho é extremamente forte, sorridente e saudável hoje em dia. Fazemos trilhas com ele e já fomos para a Chapada dos Veadeiros quatro vezes”, detalha Polyana. Mesmo com a situação saudável, Ragnar ainda tem um resquício do tumor. Ele passará por uma nova cirurgia até o final do ano para removê-lo completamente.

Receba notícias do Metrópoles no seu Telegram e fique por dentro de tudo! Basta acessar o canal: https://t.me/metropolesurgente.

Faça uma denúncia ou sugira uma reportagem sobre o Distrito Federal por meio do WhatsApp do Metrópoles DF: (61) 9119-8884.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *